Educação

Educação

Orientadora Pedagógica:

Terezinha Lurdes Mazzuco

Graduada em Educação Infantil e Educação Especial, Especialista em Ed Especial e Educação Infantil e Séries iniciais do Ensino Fundamental.
Funcionária efetiva da Fundação Catarinense de Educação Especial desde maio de 2015.

Secretária Escolar:

Cristiane Dombrovisk Damasio

Educacional

O objetivo é oportunizar aos educando o convívio em grupo, a aquisição de conhecimentos, o desenvolvimento de capacidades/habilidades para sua autonomia e aptidões para as atividades de vida diária. Os atendimentos são realizados em grupo sob a regência de professores, de segunda á sexta-feira num período de quatro horas diárias, sendo que os usuários da turma de Estimulação Precoce frequentam dias alternados e com atendimentos de 60min, devido as suas especificidades.

As turmas de SPE de 6 anos à 13 anos e 11 meses e SPE de 14 anos à 17 anos e 11 mêses, mesmo os educandos tendo maior comprometimento físico-motor, eles tem atendimento de cinco vezes por semana em salas especificas com trabalhos pedagógicas e projetos com atividades manuais, também com atendimentos de informática, educação física e artes.

As turmas de SAE têm atendimento de cinco vezes por semana em salas especificas com trabalhos pedagógicos e projetos de atividades manuais, bem como atendimentos de informática, educação física e artes bocha e bocha PC (Paralisado Cerebral). Os educandos com maior capacidade laborais, participam de oficinas como artesanato, artes, tear e reciclagem de materiais. Nas oficinas são trabalhados conteúdos que desenvolvam no educando a iniciativa, o interesse, a responsabilidade, a criatividade, o uso correto de materiais, a conduta social, a seqüência lógica, a tolerância, além de relacioná-los aos conteúdos pedagógicos, através do uso e manejo de materiais diversificados. É importante salientar que nestas oficinas o “processo de trabalho” é o foco principal, sendo secundário o produto final.

Público-Alvo:

São elegíveis para este serviço educandos com idade igual ou superior a 18 anos, que apresentam Deficiência Intelectual (moderada ou severa) e/ou Múltipla e que no momento não apresentam habilidades para o desenvolvimento do trabalho competitivo.

Orientador Pedagógico

É de sua competência representar a direção quando solicitado, ser o articulador do processo de discussão de uma proposta de trabalho (pedagógica). Juntamente com a direção elaborar calendário, fazer enturmação e buscar soluções quando houver desentendimentos entre alunos, professores e/ou funcionários.

Orientar o aluno no cumprimento de seus deveres com responsabilidade, enviar bilhetes para pais e/ou responsáveis se necessário. Orientar professores, auxiliar na elaboração de atividades quando solicitada, pelos professores. Organizar horários de atividades que envolvam alunos e professores. Proporcionar condições de realização de projetos a serem desenvolvidos.

Viabilizar materiais solicitados para realização de projetos e ou atividades com os alunos. Promover estudos de casos juntamente com a equipe multidisciplinar da Clinica. Auxiliar na elaboração das avaliações quando solicitada.

Professor

O corpo docente do CAESP é formado por professores, sejam eles pertencentes ao quadro de funcionários efetivos da Fundação Catarinense de Educação Especial- FCEE, ou contratados temporariamente – ACTs, e contratados pela APAE

Deverá ser ético, pontual nos horários, ter responsabilidade em suas ações, ter atitudes de respeito para com as diferenças e dificuldades de alunos e colegas. Demonstrar interesse em buscar aperfeiçoamento através de cursos, seminários e palestras. Auxiliar nas atividades extras do CAESP e participar de promoções da APAE.

O professor deve estar em interação com o processo de ensino e aprendizagem proposto pelo PPP, repensar constantemente as ações que se efetivam na sala de aula. Trabalhar coletivamente, oportunizando trocas qualitativas de auxílio mútuo.
Sendo este, investigador, pesquisador, mediador e transmissor de conceitos e informações necessárias para a formação do usuário, bem como proporcionar atividades as quais venham a auxiliar os usuários (as) na independência em AVD (Atividades de vida diária). Sempre respeitando a individualidade e as limitações de cada usuário.

Modalidades de atendimento no CAESP Centro de Atendimento Especializado “Menino Deus”:

- Estimulação Precoce

É o atendimento prestado a partir do nascimento da criança que apresenta problemas evolutivos decorrentes de fatores orgânicos ou ambientais. “As crianças são atendidos por uma equipe profissional, com a participação efetiva da família, com objetivo de proporcionar o desenvolvimento integral da criança” (CENESP. 1984 p-26).

As crianças atendidas são da faixa etária de 0 a 5 anos e onze meses de idade, que necessitem atendimento de estimulação para acelerar o desenvolvimento, minimizando dificuldades através da utilização de métodos, técnicas e recursos especiais, incluindo uma programação curricular o mais próximo da realidade comum a todas as crianças.

Proporcionando atividades para o desenvolvimento da área cognitiva, afetiva, e psicomotora de cada educando através de um trabalho de qualidade e responsabilidade, através dos conteúdos: família, comunicação e expressão, leitura e escrita, higiene pessoal e do ambiente, alimentação saudável, atividades de vida diária e vida prática.

As crianças atendidas são da faixa etária de 0 a 5 anos e onze meses de idade, que necessitem atendimento de estimulação para acelerar o desenvolvimento, minimizando dificuldades através da utilização de métodos, técnicas e recursos especiais, incluindo uma programação curricular o mais próximo da realidade comum a todas as crianças.

- Serviço Pedagógico Específico

Objetiva-se o desenvolvimento global, trabalhando a psicomotricidade, raciocínio, linguagem, integração sócio emocional, buscando sempre atender as necessidades específicas de cada aluno e a identificação das diferenças e semelhanças entre os conteúdos trabalhados, proporcionando atividades para a partir delas, propiciando aluno a constituição relações em seu dia-a-dia e aos princípios sociais estabelecidos. São atendidos alunos com faixa etária dos 7 aos 17 anos que apresentam deficiência intelectual e múltipla, que não frequentam a rede regular de ensino devido o baixo nível funcional e saúde frágil.

São desenvolvidas atividades de estimulação à comunicação oral, visual e gestual dos alunos, desenvolvendo sua comunicação, dequação de linguagem acessível ao nível de conhecimento dos alunos.

Desenvolver atividades que propiciem a participação de todos, respeitando as limitações e potencialidades; Identificação com seu nome, nome de seus pais, nome de seus colegas e de seus professores;

Estimular as atividades e brincadeiras possibilitando a autonomia dos alunos para que estes possam mostrar seu conhecimento sobre a atividade proposta; Identificar diferentes ritmos musicais expressando-se através do movimento;

Expressar suas idéias através da pintura com as próprias mãos;

Durante a execução das atividades, evidenciar outros conhecimentos relacionados a cor, forma, tamanho de objetos, posicionamentos, direção, que estimulem sua aprendizagem cognitiva;

Identificar seu próprio corpo;

Representar diferentes formas através de desenhos, pintura e colagens

- Centro de Convivência

Considerando as pessoas atendidas no CAESP “Menino Deus” em processo de envelhecimento com diagnóstico de Deficiência Intelectual, que apresentam limitação na sua participação nas rotinas sociais e familiares, nas atividades cotidianas e nas atividades físicas e de rotina observou-se a necessidade de planejar um atendimento mais específico para estes usuários. As pessoas com condições crônicas que serão atendidas necessitam de acompanhamento para toda a vida.

Considerando que estas dificuldades e demandas se intensificarão ao longo do tempo e se faz necessário intervenções. Identificar os tipos de apoio que cada pessoa necessita, possibilitando estratégias terapêuticas e pedagógicas, visando adquirir e ou manter as habilidades funcionais específicas de cada usuário e a redução de apoios, e a melhora ou manutenção de desempenho, trabalhando juntamente com as famílias.

Proporcionar o desenvolvimento global, trabalhando a psicomotricidade, raciocínio, linguagem, integração sócio emocional, buscando sempre atender as necessidades específicas de cada aluno e a identificação das diferenças e semelhanças entre os conteúdos trabalhados, proporcionando atividades para a partir delas, propiciarão aluno a constituição relações em seu dia-a-dia e aos princípios sociais estabelecidos. São atendidas pessoas com faixa etária de 28 a 53 anos. Esta turma desenvolve o projeto Dançando na APAE

- Iniciação para o Trabalho

São atendidos pessoas acima de 18 anos que apresentem condições de inserção no mercado de trabalho.

O trabalho desenvolvido consiste em oferecer atividades básicas e observações de situações reais de trabalho, visando o desenvolvimento de habilidades e competências profissionais e sociais que dizem respeito ao “saber conhecer, fazer, ser e conviver”, e conhecimentos técnicos e específicos de cada profissão e também a locomoção independente, proporcionando maior variedade de experiências, na perspectiva de possibilitar autonomia pessoal, resolução de problemas, trabalho individual e em equipe, compreendendo o mercado de trabalho, diminuindo as limitações e aspirações pessoais e profissionais.

O Grupo de Iniciação tem por objetivo pesquisar e avaliar as competências do aprendiz, a partir do levantamento das potencialidades, interesses profissionais e nível acadêmico, com enfoque nas habilidades do sujeito, visando identificar os apoios que este necessitará durante a pré qualificação e a qualificação profissional. Desenvolvem o Projeto Oficina de Culinária.

- Programa de atividades laborativas

Este programa é direcionado às pessoas com deficiência intelectual com ou sem outras deficiências associadas, sem perspectiva de ingresso no processo de qualificação profissional e ou inclusão no mercado de trabalho, com idade a partir dos 18 anos. Serão utilizados os formulários da Escala de Comportamento Adaptativo para desenvolver as atividades de AVDs.

Promover o exercício do direito à realização de uma atividade laboral, que valorize o seu potencial produtivo, mediante a utilização de técnicas e atividades diversas, para que possam desenvolver ao máximo suas potencialidades, por meio de processos produtivos, criativos, lúdicos, expressivos, evolutivos, promovendo a autonomia, a elevação da autoestima, a autoconfiança e a inclusão à vida social. Esta Turma desenvolve o projeto Tecendo com Carinho e Plantando e Colhendo na APAE

Atendimento Educacional Especializado

Atendimento individualizado aos alunos que frequentam a escola regular, na faixa etária de 7 aos 17 anos.

Tem por objetivo organizar condições que favoreçam o desenvolvimento integral do aluno, promovendo situações de estimulação dos mecanismos e de aprendizagem através de materiais didáticos pedagógicos.

Desenvolver habilidades e competências nas seguintes áreas: Comunicação e representação, identidade; Autonomia pessoal e leitura e escrita, coordenação motora na escrita, coordenação motora na escrita, Área de raciocínio lógico; Conceitos matemáticos; Tempo e medidas; Noções de grandeza, área de representação espacial; Orientação espaço temporal, localização de objetos; Percepção visual, auditiva, olfativa, gustativa e tátil; Área de artes coordenação motora manual e criação; Área física e motora, corpo e a própria imagem; Independência motora; Área de socialização e comportamentos, boas maneiras, aspecto afetivo emocional e independência social; Atividades de vida diária, atividades domésticas e hábitos à mesa; Hábitos de higiene, saúde e sexualidade e vestuário; Realização de atividades pedagógicas.

- Serviço de Atendimento Específico

Serviço de Atendimento Especializado leva em consideração a pessoa, seus interesses, limitações, experiências, respeitando seus sentimentos e emoções. O planejamento anual é desenvolvido por área de conhecimento, bem como dividida em horários flexíveis, permitindo assim que o professor trabalhe de maneira interdisciplinar. São organizadas e dirigidas, situações de aprendizagem envolvendo os alunos em atividades e projetos através dos quais serão observadas as evoluções, identificando-as ajustando às possibilidades dos alunos também no envolvimento deles na instituição de regras, desenvolvendo a capacidade de auto-avaliação, e do trabalho em equipes, administrando crises e conflitos interpessoais

Trabalha-se o Currículo Funcional Natural que é uma proposta de ensino que visa à melhoria da qualidade de vida diária das pessoas, este currículo tem como proposta desenvolver habilidades que levem a pessoa a atuar da melhor maneira possível dentro do ambiente, tornando-as mais independentes e criativas. Além de aumentar as respostas adaptativas, diminui os comportamentos que tornam as pessoas menos. Esse currículo foi descrito para que os usuários aprendessem habilidades que as ajudassem a adaptar-se o melhor possível, nos seus ambientes.

Há no CAESP Quatro turmas de SAE, que além do Curriculo Funcional Natural desenvolvem os Projetos: Plantando e colhendo na APAE, Arte com Tecidos e Tecendo com Carinho.

- Artes

O desenvolvimento pleno do ser humano apresenta direta relação entre o conhecimento e a compreensão que este venha a ter do mundo das artes, uma vez que são o ser humano é a capaz de produzir cultura, deixar legado histórico e cultura para outras gerações. Entendo o quão importante e necessária é a relação do homem com outras culturas uma vez que o conhecimento histórico do mundo das artes revela capacidade inata do ser humano em produzir sua própria história transmitir aprendizado, costumes e principalmente compartilhar saberes.

Proporcionar condições ao aluno para que desenvolva a capacidade criadora, assegurando a necessidade de observar, deduzir, manusear, exprimir, representar e comunicar. Interagir com materiais, instrumentos e procedimentos variados em artes (artes visuais, dança, música, teatro), os experimentado e conhecendo-os de modo a utilizá-los nos trabalhos pessoais.

- Educação Física

A Educação Física é um conjunto de exercícios que tem como objetivo liberar as energias do corpo humano, coordená-las e discipliná-las, a fim de que melhorem as condições de saúde e bem-estar, despertando o espírito de solidariedade, de equipe e de esportividade entre as pessoas. A prática dos exercícios físicos se ajusta bem à formação da criança e do adolescente, desde que devidamente adaptados. O aluno que é bem orientado, conquista o conhecimento do próprio corpo, que sem dúvida é o seu melhor equipamento, obtendo condições de trabalhar consigo próprio no desenvolvimento de habilidades especificas, como a capacidade de contração e coordenação, agilidade, flexibilidade no desenvolvimento do meio social e afetivo. Sendo assim, a educação física utiliza das atividades físicas, exercícios e jogos para formar o indivíduo como um todo e, pode ser traduzida como educação do corpo, sendo que é o instrumento de compreensão do mundo.

Desenvolver os conhecimentos de si mesmo e o sentimento de confiança em suas capacidades afetivas, físicas, cognitivas, éticas e de interrelações pessoais e de inserção social para agir com perseverança na busca pelo conhecimento e no exercício da cidadania. Busca estimular funções psicomotoras necessárias ao aprendizado formal, alcançando um ambiente favorável a aprendizagem, procurando também proporcionar ao educando situações onde obtenha um desenvolvimento integral, visando apontar seus limites e, ao mesmo tempo, estimulá-lo de forma integral, evoluindo a educação intelectual e física. É importante reforçar que é através do movimento que o aluno adquire experiências esportivas, culturais e sociais. Tenta-se alcançar e estimular as habilidades e capacidades físicas e motoras, oferecendo oportunidade para maior interação e socialização do grupo.

- Comunicação Alternativa

As interações sociais se instituem principalmente pela fala, pessoas não verbais ou que a ausência da fala está correlacionada a alterações sensoriais, motoras e/ou cognitivas ou ainda que apresentem, algumas alterações na oralidade podem não adquirir uma comunicação funcional, e desta maneira terem suas relações sociais e pessoais limitadas.

A comunicação é algo bem mais abrangente e utiliza também recursos não verbais nas interações interpessoais. As expressões faciais e os gestos são um complemento importante na comunicação, pois transmitem informações e estados emocionais com clareza, tais como alegria, tristeza, medo, além de que acenos são gestos sociais significativos.

Valorizar todos os sinais expressivos do sujeito, ordenando-os para o estabelecimento de uma comunicação rápida e eficiente, oportunizandp o desenvolvimento da comunicação de maneira alternativa viabilizando a troca de informações;

- Informática Educativa

A informática, hoje tão presente em nossas vidas, é extremamente necessária às pessoas com necessidades educacionais especiais, permitindo assim que o aluno com deficiência utilize os recursos disponíveis no computador, como o auxílio visual, auditivo, motor e interativo para facilitar a sua aprendizagem.

A utilização da informática para o processo ensino-aprendizagem na educação especial atende necessidades específicas com pessoas com deficiência intelectual, físico-sensorial e motora, com influências nas dimensões socio-afetivas. Essa ferramenta propicia um ambiente estimulador e diferenciado de aprendizagem que desperta o interesse do aluno, estimulando atividades cognitivas básicas e de conceitos nas diversas áreas do conhecimento.

A informática especial é um recurso pedagógico e de comunicação que auxilia aos alunos com necessidades especiais possibilitando de novas experiências, favorecendo seu desenvolvimento e aprendizagem globais. As aulas de informática ministradas se norteiam para a aquisição de conceitos básicos visando a interação social e a comunicação.

A utilização deste recurso atende a uma diversidade de alunos com diferentes patologias em diversas faixas etárias. O trabalho pedagógico nesta perspectiva terá maior amplitude, possibilitando a interatividade entre o trabalho a ser desenvolvido na sala de informática e na sala de aula.

- Projeto Oficina de Capoeira

A metodologia deste projeto consiste em ensinar a arte da capoeira considerando que vai além do desenvolvimento físico, são trabalhados valores como respeito, disciplina, companheirismo, alegria e educação. A capoeira desenvolve habilidades importantes para o desenvolvimento motor das pessoas, além de estimular a interação social, que é uma das áreas afetadas em pessoas com deficiência intelectual e múltipla.

A pessoa que pratica capoeira aprende jogar e cantar os cantos africanos especialmente criados para esse tipo de atividade e a tocar instrumentos como o berimbau, o pandeiro e o caxixi, (chocalho feito de sementes). O jogo da Capoeira aprimora o controle emocional, estimula a observação e a defesa, quando necessário, não incentiva a agressividade nem a violência, ajuda na formação moral, desenvolve e amplia a cognição, desperta curiosidade, promove o desenvolvimento físico, estimula o controle emocional e combate as inibições.

A percepção sonora é estimulada pelo uso de instrumentos musicais, assim como a consciência do próprio corpo é alimentada por movimentos pouco usuais. Trata-se de uma atividade que abre um leque de oportunidades sao jogar Capoeira, o gosto por danças populares, outros, por canto, despertando aptidões, fonte valiosa de conhecimento e amor próprio.

Galeria de Imagens de Educação

Outras áreas de atuação

Saúde

Educação

Assistência
Social

Proteção

Capacitação

Autogestão

Nossos Parceiros